Acompanhe Nosso Blog

Faça seu Orçamento


Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida

Seja nosso cliente

Sua mensagem está sendo enviada...

Trabalhe Conosco


Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida PDF ou DOC com o máximo de 4MB
Sua mensagem está sendo enviada...

Fornecedores


Informe seu nome
Informe seu telefone
Informe um e-mail
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Descreva sua Mensagem
Sua mensagem está sendo enviada...

Dizem que ser criativo é quase um sinal de desonestidade. Verdade ou não, o fato é que a criatividade deixa sua vida bem mais interessante, principalmente no trabalho. E, se você estiver a fim de despertar seu lado criativo, a ciência dá uma mãozinha e revela alguns truques que dão certo.

1. Felicidade ajuda
Sim, felicidade deixa você mais criativo. Segundo pesquisa divulgada no livro “The Progress Principle: Using Small Wins to Ignite Joy, Engagement, and Creativity at Work”, estar de bom humor aumenta em 50% as chances de ter uma ideia criativa, em comparação com os dias cinzas. Foi assim com os voluntários da pesquisa.

2. Fique sozinho
Esse negócio de brainstorm em turma não adianta nada. A gente já contou por aqui que solidão ajuda mesmo a aguçar a criatividade – num teste com 200 pessoas, os solitários fizeram desenhos mais inovadores. Agora outra pesquisa parece ter chegado a uma conclusão parecida. Quanto maior o tamanho do grupo, pior o desempenho de cada um: grupos com 9 pessoas geravam ideias mais pobres do que as turmas com 6 pessoas – e todos se saíam pior do que os grupos de 4 pessoas ou menos.

3. Tome um banho quente
É pra te deixar relaxado. Quando estamos focados num problema, a gente se preocupa muito emanalisar os detalhes. Isso não ajuda a criatividade em nada. Quando a mente relaxa, seu cérebro consegue fazer associações mais distantes, graças ao trabalho do hemisfério direito. Ou seja, você consegue pensar fora da caixinha. “É por isso que muitos insights acontecem durante os banhos quentes, para muitos é o momento mais relaxante do dia”, explica Jonah Lehrer, autor do livro “Imagine: how creativity works”.

4. Passeie ou tire um cochilo
Pesquisadores da Universidade de Toronto descobriram que fazer alguma atividade habitual, tiposair para uma caminhadatirar um cochilo ou até lavar louça permite que você, inconscientemente, acesse informações da área periférica do cérebro. Aí surgem ideias criativas. Só não vale ver tevê: os pesquisadores suspeitam que a telinha te deixa tão desligado, com a cabeça vazia, que nem a criatividade tem vez.

5. Beba uma cerveja
Sim, bêbados têm ideias mais inovadoras. Foi o que perceberam os pesquisadores da Universidade de Illinois. Eles deram um litro de cerveja para 20 homens e deixaram outros 20 sem uma gota de álcool, completamente sóbrios. Depois, os 40 voluntários tiveram de fazer alguns testes de criatividade. Cada um recebia três palavras (tipo colher, moeda, brinco) e tinha de acrescentar uma quarta que fizesse sentido no contexto (prata, por exemplo). E adivinhe quem levou a melhor? O pessoal do goró. É que a bebedeira diminui as atividades da memória de trabalho (área onde fica o conhecimento de fácil acesso do cérebro, que te deixa apto a ler e compreender uma frase do início ao fim). Com ela em baixa, sobra espaço para a distração. Aí os bêbados seguiam mais os sinais intuitivos que os sóbrios ignoram.

No fundo, a ideia é sempre dar espaço para seu cérebro respirar. Mas e você, tem outras táticas para despertar a criatividade? Conta pra gente!

Crédito da foto: flickr.com/kevinomara
Matéria: Carol Castro – Revista Super Interessante

Codigo Da SuperacaoO Código da Superação 
Uma fascinante jornada além da superação

O livro, escrito pelo “top of mind” José Luiz Tejon Megido, é uma fascinante jornada além da conquista e enfatiza no ambiente competitivo das corporações a capacidade humana de oferecer o melhor de cada talento, aperfeiçoando vocações e conquistando competências nova.

Superar a si mesmo, as barreiras da cultura social, as incertezas e as dúvidas do ambiente, aprender a ter êxito em equipe, em times criativos e, além de tudo, inovar, saber liderar com sustentabilidade e construção de valor, segundo Tejon, só é possível se cada pessoa perseguir seu próprio código, que, ao ser descoberto e acessado, o permite evoluir de forma acelerada em uma competição onde velocidade e mudança são as regras do jogo.

“O segredo dos segredos é adquirir a vontade onívora de aprender a aprender, sempre, e para isso precisamos preservar e manter viva a nossa criança interior.”

A obra inicia com a abertura para as quatro ilusões e recompensas: a felicidade, a eternidade, a liberdade e a amizade. Para iniciar esses passos, a pessoa precisa acreditar na alma, prestar atenção, não ser nunca indiferente à vida para não correr o terrível risco do autoabandono, além de descobrir seu código. 

Para encorajar os leitores a irem em busca de seu código, o autor apresenta os seus próprios quatro códigos que sintetizam a força superante que o mantém vivo e com amor a todas as lutas.

A ambição do Código da Superação é a de criar uma ponte que atravesse, na velocidade da luz, o grande salão do inconsciente de cada ser humano. 

A vontade do autor é a de despertar em todos a capacidade e a possibilidade da evolução ligeira, pois “não dá para perder tempo com quem perde o tempo.” 

{backbutton}

Graças a Deus é segunda-feira!

Estranho ouvir essa expressão algumas dezenas de vezes. Estranho, mas muito comum aqui na agência.

Tenho visto muitos talentos por aí, e muitos aqui, pertinho de mim. Ouvi dizer que tenho o dom pra ver o "diamante" que há em alguns profissionais. Engano.

Talvez e somente talvez, eu tenha a mania da insatisfação com o resultado que vejo na maioria dos talentos que conheço.

Quero sempre mais. Cobro, exijo, ensino e recebo muito mais que a demanda pede.

Se nossa equipe fosse composta de personagens, (e não é?), teríamos partes não isoladas de grandes histórias.
E assim, vamos conhecendo e amando grandes personagens;

  • Os três mosqueteiros, literalmente um por todos!  O dinheiro não é o condutor da vida deles. São fiéis a si mesmos e a uma causa que ainda não viram, apenas confiam. Chamo isso de fé! Disso eles entendem.
  • O Jack (do estranho mundo de Jack), assumiu com muito mérito, nosso suporte. Meio atrapalhado, mas muito verdadeiro, aquela pessoa que tem a humildade como grande virtude.
  • O Shrek, meio Kung Fu Panda, mas com alma de coelho. Precisa focar mais na solução que no problema. Tem um grande coração. Isso ajuda muito a atingir o resultado que busca.
  • E o Chaves, impossível não se apaixonar, não é Linda mulher? Mais linda ainda quando abre aquele sorriso. Ah, Chaves...Richard Gere pode ser a melhor estratégia.
  • Violeta, dos incríveis. Super poderes, você tem. Experimente-os  e arrebente no photoshop. Corre, dá tempo.
  • Sininho com pitada de Aladim. Calma, você está livre e fora da lâmpada. Respire e ouça e ouça...Sua criatividade é tudo. Canalize-a para usar.
  • Russel, do desenho Up. Tanta vontade de acertar! Com essa disposição, vai dar certo. Use o lado Megamente a seu favor.
  • Meredith Grey, mais nova integrante da equipe. É preciso coragem para escrever essa história, ousadia você já tem. O peso será grande, sabe disso!

    Como roteiros inacabados da vida, alguns personagens deixam de fazer parte da nossa trajetória.
    De uma maneira bem particular, o Homem de lata, do mágico de OZ, me fez sentar e escrever;
    "Não consegui tocar seu coração (disse isso em algumas reuniões), mas faltou dizer que você tocou o meu e o de muita gente por aqui. Saudades! "

    Nossa, é sexta-feira! Passa logo fim de semana.

    Inté e na fé

Andréa de Oliveira

{backbutton}

Transmissao Simposio Sp Sbd

 

A Conectando Pessoas transmitiu ao vivo pela internet, na íntegra para os sócios da Sociedade Brasileira de Diabetes, o 1º Simpósio Internacional em Cirurgia Metabólica, realizado dia 05 de maio em São Paulo.

O Simpósio teve grande repercussão e expectativa pelo nível elevado das palestras e debates, tanto que as inscrições para a participação presencial encerraram-se rapidamente. Logo, a transmissão online foi indispensável para uma melhor propagação do projeto.

A equipe aceitou o desafio de transmitir em tempo real e fazer interação por meio do perfil da Sociedade no Facebook. Durante o evento, vídeos com pequenos trechos de palestras e fotos foram publicadas na rede social, deixando os internautas por dentro de tudo que acontecia. Foram mais de 140 solicitações de amizades no momento do evento.

A transmissão foi um sucesso. O Editor-chefe do portal, Dr Laerte Damaceno que estava na Itália durante a transmissão, acompanhou toda a transmissão, inclusive, interagindo em tempo real. Grupos de cirurgiões se reuniram para acompanhar a transmissão e consideraram ter sido uma ótima oportunidade de atualização.

Utilizando sempre a tecnologia como aliada levando o melhor para o cliente, a Conectando Pessoas, com a estratégia certa, pôde transformar um projeto piloto em um grande sucesso.

{backbutton}

A avaliação dos profissionais feita por seus gestores deve ser considerada como uma grande oportunidade de rever os pontos que podem e devem ser melhorados (Imagem: Thinkstock)

A avaliação dos profissionais feita por seus gestores deve ser considerada como uma grande oportunidade de rever os pontos que podem e devem ser melhorados

A graduação, os cursos extracurriculares, a experiência em uma determinada área, um intercâmbio, tudo isso conta, e muito, na construção e desenvolvimento de uma carreira bem-sucedida. Mas, nesse caminho, a ferramenta que vai ajudar o profissional a ajustar pontos importantes de sua atuação profissional é o feedback.

A avaliação dos profissionais feita por seus gestores deve ser considerada como uma grande oportunidade de rever os pontos que podem e devem ser melhorados. O papel do avaliador será muito importante, mas o avaliado também precisa saber como aproveitar esse momento, para fazer com que esse retorno realmente seja útil no seu desenvolvimento.

Com o apoio da coordenadora do núcleo de estudos e negócios em desenvolvimento de pessoas da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), Adriana Gomes, a equipe InfoMoney elaborou 6 dicas para que se possa aproveitar, da melhor forma possível, o feedback. Observe:

1 - Considere-o uma oportunidade - antes de mais nada, é preciso ver o feedback como uma oportunidade de crescimento e não como um momento único e exclusivamente utilizado para apontar erros, falhas e problemas. Considerar esse retorno como uma oportunidade já mostra que o profissional está aberto a mudanças e interessado em se aperfeiçoar. Os que veem o feedback como críticas destrutivas ficam bem atrás em termos de desenvolvimento.

2 - Não leve para o lado errado - no ambiente corporativo, o lado pessoal, usualmente, é o lado errado. Um dos maiores erros é achar que o feedback é sinônimo de crítica. Na prática, o gestor está tratando de pontos a melhorar que vão ajustar sua atuação e, consequentemente, ajudar a melhorar seus resultados e os da empresa.

3 - O olhar do outro - valorize e preste muita atenção na avaliação do seu gestor, pois, por mais que as pessoas estejam trabalhando da melhor maneira possível, ou seja, "dando o seu melhor", o olhar do outro pode ajudá-lo a perceber comportamentos ou atitudes que sozinhos é difícil identificar.

A avaliação dos profissionais feita por seus gestores deve ser considerada como uma grande oportunidade de rever os pontos que podem e devem ser melhorados.

4 - Reflita - para melhor aproveitar um feedback é preciso dar um tempo, ou seja, ouça atentamente o que foi dito e vá para casa. Ao longo de alguns dias pense no que foi falado. De acordo com Adriana, certas avaliações, que num primeiro momento parecem injustas ou equivocadas, depois de um tempo de reflexão, começam a fazer sentido.

Lembre-se de que é algo intrínseco ao ser humano rejeitar as criticas, e não deixe essa característica humana boicotar seu desenvolvimento. Não há feedback em que não haja sugestões de melhoria.

5 - Elabore um plano de ação - depois de uma reunião cheia de considerações sobre seu trabalho, é hora de elaborar um plano de ação objetivo, com prazos e metas a serem atingidas. De nada vai adiantar o profissional ser avaliado, estar aberto e disposto a ouvir onde pode melhorar se ele não fizer nada a respeito.

Todos os pontos a melhorar devem fazer parte do seu plano de ação. Não se deve esperar necessariamente mais seis meses ou um ano, dependendo da periodicidade com que a empresa realiza seus feedbacks, para observar se as metas estão sendo cumpridas.

Tudo vai depender do ponto de melhoria. No caso de um comentário pontual, referente a funções do dia a dia, em questões de semanas, já é possível apresentar melhoras. Aprender outra língua, porém, vai exigir um prazo maior. Mas o importante é fazer a verificação.

6 - Descubra a intenção do seu gestor - é preciso considerar que alguns profissionais não estão preparados nem qualificados para oferecer o feedback. Muitos indivíduos se questionam, alguns até com razão, se seus chefes de fato querem seu desenvolvimento ou somente usam esse tempo para criticá-los. Para descobrir a real intenção do seu gestor, alguns conselhos podem ajudar.

De acordo com Adriana, a própria relação que o trabalhador possui com seu chefe já é um grande indicador. "É onde reside a diferença de uma crítica destrutiva de um feedback bem dado". Além da qualidade da relação entre os profissionais, elementos como a maneira como seu gestor fala com você e o tom de voz que usa podem indicar o objetivo desse feedback.

Vale ainda ressaltar que, nessa avaliação, não se devem abordar apenas os pontos a melhorar, mas também valorizar os pontos positivos. Segundo a consultora de planejamento de carreira da Ricardo Xavier, Karla de Oliveira, os gestores precisam trazer os elementos que mostram que você é um bom profissional.

Por fim, o que ajuda a identificar a intenção do seu gestor é se ele apresenta ou não justificativas para as críticas que está fazendo. "O feedback não é algo aleatório. Se o chefe destaca um ponto negativo, ele precisa apresentar argumentos que justifiquem essa avaliação", avalia Karla.

Via: Administradores

{backbutton}

Entre em Contato

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Sua mensagem está sendo enviada...

São Paulo

Av. Onze de Junho 1070
Salas 107/108 - Vila Clementino | CEP: 04041-004

(11) 2384-3364

Como Chegar

Brasília

SGAS 610/611 Centro Médico Lúcio Costa Bloco 01
Salas T01/T02 - Asa Sul | CEP: 70.200-700

(61) 3965-6766

Como Chegar